domingo, 11 de outubro de 2009

"A culpa foi do juiz!"


O São Paulo foi até o Maracanã e perdeu por 2x1, de virada, para o Flamengo. Um resultado completamente aceitável pela História e pelas circunstâncias atuais. Dois times, até então, invictos, um São Paulo que vinha de pontos bobos perdidos em rodadas passadas e que depende excessivamente da lucidez de Hernanes (ah, eu não esqueci do texto! Ainda vou fazê-lo, ok?) e um Flamengo que acertou sua marcação e saída de bola, com Álvaro e Maldonado, e que vem subindo na competição. Pelos pontos bobos, hoje era dia do São Paulo buscar o ataque fora de casa e isso significaria arriscar mais. Arriscando mais, o time estaria mais aberto e poderia mesmo sofrer uma derrota.

Logicamente é frustrante perder um jogo, ainda mais de virada, mas com a cabeça mais fria, é aceitável mais uma derrota no Maracanã.

Mas vejo, pelas declarações pós-jogo do elenco tricolino que há um culpado para isso tudo: o árbitro Wilton Pereira Sampaio.

"A culpa foi do juiz ao marcar aquele pênalti e, principalmente, repetir a cobrança!" - é um consenso entre jogadores e comissão técnica Tricolor.

Não, não foi!

A culpa foi do próprio São Paulo que entrou mal-armado taticamente - novamente com improvisações que se mostram desnecessárias ao pensar-se no elenco que se tem - e somente com o intuito de se defender.

O Flamengo foi merecedor da vitória, com um Petkovic solto no meio-campo, comandando o time.

Se o pênalti foi ou não foi marcado corretamente, pode até se discutir. Pra mim foi pênalti claro! Jorge Wagner pode não ter entrado para "matar" a jogada, mas perde o tempo da bola e acerta o adversário. Eu costumo analisar esse lances por um critério muito particular: como eu veria sendo um lance a favor do meu time? Pênalti.

Agora, dizer que o árbitro está errado por mandar voltar uma penalidade máxima, onde parte do time tricolor invade a área e o goleiro Rogério avança para a bola antes do cobrador tocá-la, ao meu ver, é uma tentativa de transferir a culpa ao árbitro pelo mau futebol.

Dá próxima vez, busquemos o gol, ao invés de chamarmos incessantemente o adversário para a nossa área, além de permitir que o meio-campo adversário jogue tão solto e com tanto domínio do campo.

Não transfiramos ao árbitro uma culpa que é nossa! Ele cumpriu a regra. O Flamengo jogou bola. O São Paulo, não. Isso justifica o 2x1 para o time rubro-negro.
Foto: Globo Esporte.com

4 comentários:

niposenpuu.blogspot.com.br disse...

me desculpe, amanhã tomara que o Palmeiras vença o Nautico pra acabar logo com isso já tô cheio desse negocio de eu acredito no titulo nnem ficamos em primeiro no campeonato todo, pra isso chega eu já joguei a toalha

Edison Junior disse...

Isso mesmo Mateus. Perdemos porque o Flamengo jogou muito mais bola que a gente. Ponto.
O Flamengo é mais time? Claro que não, mas faltou mais uma vez a postura de campeão ao SPFC.
Parece que os jogadores também acreditaram nessa brincadeira do Jason, como se fosse só dar tempo ao tempo que o "escolhido" São Paulo seria campeão mais uma vez, sem que fosse necessário fazer qualquer esforço. Algo como uma predestinação divina. Ou como acreditar que Deus ajuda quem cedo madruga só porque Deus gosta de quem acorda cedo, e não porque quem acorda cedo trabalha mais que os outros.
A maior parte dos jogadores estava aqui no ano passado, às vezes dá a impressão que lhes falta interesse em ser campeão mais uma vez. Parece que falta tesão.
Continuo acreditando que a saída do Muricy era inevitável, mas ele não era a única causa de nossos problemas.
É preciso uma renovação maior.

P.S. Mas que o Rogério é vítima frequente de pênaltis "voltados", isso é. E ele nem se adianta mais que os outros goleiros, apenas dá mais ibope que os demais. É aquela história, só para usar mais um chavão: fez a fama e deita na cama...

Claudio Leiva ''Claudera'' disse...

Concordo com o texto e com tudo que o Edison falou.

Mateus Woszak disse...

Devidamente já editado: "mau" (contrário de bom) futebol, e não mal (contrário de bem) futebol, como estava grafado.