quinta-feira, 16 de abril de 2009

Jogando pontos no lixo...

Em contradição ao discursos feito aos quatro cantos pela Diretoria e Comissão Técnica no início do ano, o São Paulo foi a Medellin enfrentar o Independiente local, pela Libertadores, com o time reserva e um banco recheado de garotos, escolha esta feita devido a preservação de seu time principal para a decisão de domingo, contra o Corinthians.

O título deste post é que - isso uma visão pessoal - o São Paulo agiu errado ao mandar seu "segundo time" para o confronto.

A equipe começou meio perdida, o que vejo como perfeitamente natural, visto que a falta de entrosamento, o encaixe sobre "quem faz o que" no início seria normal, e a equipe colombiana se aproveitou disso, impondo um ritmo forte logo de início e aproveitando as falhas tricolores. Em menos de 30 minutos, o Independiente vencia por 2x0, com um dos gols tendo a participação de um zagueiro tricolor desviando a bola.

A partir dos 30 minutos, o São Paulo igualou a partida, se posicionou melhor e ainda conseguiu diminuir a vantagem dos colombianos, em chute de André Lima.

No segundo tempo, o tricolor voltou com o garoto Wellington no lugar de Wagner Diniz, que fez um primeiro tempo ruim. O São Paulo era melhor que o Independiente que já não tinha o mesmo ímpeto do início da partida e se complicava. André Lima chegou a empatar a partida, mas o bandeira interpretou o lance erroneamente, assinalando um impedimento quando um zagueiro dava condições ao atacante tricolor. Ainda entrou no decorrer do jogo o jovem Oscar, no lugar de Eduardo Costa.

Por fim, a equipe reserva tricolor lutou por melhor resultado, mas saiu da Colômbia com uma derrota.

Ao meu ver, foi uma hora errada de alterar o time que defendeu a ponta da tabela e que buscava melhor colocação entre os 16 classificados para ter a vantagem de decidir mais jogos em casa. Praticamente, jogamos no lixo essa chance que tínhamos ao optar por um segundo time e priorizar o jogo contra o Corinthians.

Para quem desdenhava o que chamava de "Paulistinha", fica a impressão que a vaidade sobrepôs a razão com a escolha desse jogo para usar a equipe reserva.

Uma pena!
Créditos da Imagem: Globoesporte.com

2 comentários:

Edison Junior disse...

Eu vejo da seguinte forma, o São Paulo realmente priorizou a Libertadores até agora, porém, com a classificação para a segunda fase assegurada, mudou (perigosamente) seu planejamento e escalou o time titular contra o Corinthians, vendo aí uma oportunidade de ganhar o Paulistinha e tripudiar mais um pouco do Del Nero.
Já perdemos praticamente a vantagem nas demais fases da Libertadores. SE isso não atrapalhar e formos campeões, SE ganharmos do Corinthians no domingo e SE ganharmos de Palmeiras ou Santos na final, ótimo! Mas é muito SE pro meu gosto.
Enfim, achei um risco muito grande mudar de estratégia.

Euclides "Jun" disse...

Considerando que o São Paulo decidiu as três últimas edições fora de casa e que foi desclassificado nas três, deveria tentar algo diferente este ano. Já que o técnico é o mesmo. Perder pro Corinthians é chato, mas mais chato ainda é perder jogando sem brio e sem brilho. Não acham?